Campanha Jovem Negro Vivo chega ao Conjunto de favelas da Maré

Geral, Notícias

destaque-camisa-441“No próximo sábado, 09 de maio, o Complexo da Maré participa da campanha Jovem Negro Vivo. A Redes de Desenvolvimento da Maré eo Observatório de Favelas, organizações que atuam no local, se associaram à Anistia Internacional nesta mobilização, que chama a atenção para o alto número de assassinatos de jovens no país, em especial entre a juventude negra.

“O Brasil é o país com um dos maiores índices de homicídios no mundo, são 56 mil por ano. Mais da metade dos assassinatos são entre jovens, de 15 e 29 anos, e77% das vítimas são negros. Trazer a campanha para o Complexo da Maré é ampliar a mobilização em torno de um tema que faz parte da realidade diária de quem vive nos territóros de favela: o assassinato de seus jovens”, afirma Atila Roque, diretor executivo da Anistia Internacional Brasil.

Com a campanha Jovem Negro Vivo, a Anistia Internacional convida todas as pessoas a romper o silêncio e a indiferença diante desta realidade, mobilizando a  sociedade para assinar o manifesto “Queremos ver os jovens vivos”, que defende o direito a uma vida livre de violência e preconceito. E ainda pede políticas públicas de segurança, educação, saúde, trabalho, cultura, mobilidade urbana, entre outras, que possam contribuir para o enfrentamento desta realidade.

A parceria da Anistia Internacional com as organizações da Maré pretendevalorizar o protagonismo dos jovens em defesa dos seus direitos. Em parceria com o jornal Maré de Notícias, distribuído mensalmente pela Redes, a organização tem divulgado informações sobre a campanha e conteúdos para que a comunidade participe do engajamento também pelas redes sociais.

“A população da Maré é composta, na maioria, por pretos e pardos. Realizar a campanha na Maré é fundamental por colocar o foco nesta população que é a mais atingida pela violência. Precisamos desnaturalizar as mortes e quebrar uma cultura em que a morte de um menino negro na favela parece ser o desfecho esperado de uma trajetória”, diz Edson Diniz, diretor da Redes da Maré.

“O enfrentamento dos homicídios da juventude negra tem que ser uma prioridade na agenda pública. O nosso objetivo é contribuir para a desnaturalização destas mortes e a construção de políticas públicas que tenham a valorização da vida como um principio fundamental”, ressalta Raquel Willadino, diretora do Observatório de Favelas.

Campanha

As peças desenvolvidas para a campanha Jovem Negro Vivo dão um panorama sobre os números da violência no Brasil, comparado a outros países, inclusive, aqueles que vivem conflitos armados. E mostram também como os homicídios vitimam mais os jovens do que a população brasileira em geral.A campanha é uma parceria com a agência de publicidade DM9 Rio.

Os dados são contundentes em mostrar como os homicídios no Brasil têm atingido mais os jovens e, entre eles, os negros. Enquanto a taxa da morte de jovens brancos tem diminuído, a que se refere à morte de jovens negros tem aumentado anualmente.

Programação 

13h às 15h30 – Feira da Teixeira

Performances de Escola Livre de Dança daMaré e Rua C – Cia. De Dança

16h – Centro de Artes da Maré

Roda de Conversa com iniciativas demobilização pela valorização da vida

Binho Cultura – Flizo

Bruno Duarte – Anistia Internacional

David Amen – Raízes em Movimento

Dudu do Morro Agudo – Enraizados

Giordana Moreira – Roque Pense

Gilmara Cunha – Conexão G

Mayara Donaria e Valnei Succo – ESPOCC

Performance

Cia. Marginal e Los Chivitos

Entrada franca

Endereço do Centro de Artes: Rua Bittencourt Sampaio, 181 – Nova Holanda – próximo à Avenida Brasil”

Comentários

Deixe uma resposta