Enquanto uns festejam o início da Copa, outros protestam

Geral, Notícias

Texto e fotos: Tati Alvarenga

Vários carros do Choque já aguardavam os manifestantes chegarem a Lapa

Na quinta- feira (12) começou oficialmente a Copa do Mundo da FIFA (Federação Internacional de Futebol Associado). O Brasil foi escolhido para sediar a 20ª edição do mundial. Porém, devidos aos gastos absurdos com reformas e construção de estádios de futebol. Pouco a pouco uma parte da população resolveu protestar contra a realização do evento. Os Principais motivos são: A área da saúde em crise no país. No Rio de Janeiro profissionais da educação em greve por salários dignos e ensino de qualidade. Por este e outros motivos como as remoções arbitrárias de moradores de favelas, centenas de pessoas de várias etnias, classes sociais, representantes de sindicatos, movimentos sociais, ativistas e moradores de favelas foram às ruas protestar contra o mais glamoroso espetáculo do universo do futebol, a Copa do Mundo.

As 10h da manhã foi horário de encontro para que todos os “Anti-Copa” estivessem concentrados em frente a Igreja da Candelária com destino a Lapa. O evento foi batizado de A festa nos estádios não vale as lágrimas nas favelas. Aos poucos, jovens, adultos, crianças e idosos foram chegando de vários pontos da cidade do Rio de Janeiro. O ato teve início com representantes do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio fazendo uma campanha de conscientização. “Aos Policiais Militares pedimos que lutassem conosco, contra a violência do Estado que cala manifestantes e impede jornalistas de denunciar a violação de direitos humanos, prejudicando assim toda a população” Paula Máiran Presidente do Sindicato.

O ato seguiu pacífico com cerca de 2 mil manifestantes. Os ativistas se mostravam sempre muito alegres, teve intervenções artísticas até que segundo testemunhas um grupo PM’s provocou com spray de pimenta alguns manifestantes. Em consequência houve correria, balas de borracha, bomba de efeito moral e gás lacrimogêneo.

DSC05318

No mesmo dia foram marcadas duas manifestações na parte da tarde o palco para o protesto foi a praia de Copacabana. Ato marcado para as 15h, concentração na estação do Arcoverde cerca de 800 ativistas realizaram protesto contra o evento FiFA Fan Fest no qual milhares de torcedores foram assistir ao jogo Brasil x Croácia. O policiamento foi reforçado, grupos com mais de 100 policiais caminhavam na Av. Atlântica para garantir a segurança dos presentes e óbvio dos turistas. Pois só quem é brasileiro, sabe como a segurança é precária nesta cidade e país, com policiais mal pagos, sem equipamentos de segurança decentes etc. Mas enfim, parece que o milagre da Copa faz com que isto seja um grão de areia diante da magnitude do campeonato.

No momento do primeiro gol da seleção brasileira que ganhou de 3 x1, realmente dava para ver a divisão entre duas torcidas pertencentes ao mesmo país. De um lado da Avenida gritos e pulos eufóricos do outro vaias. Houve inicio de confronto entre torcedores porém policiais conseguiram conter os brigões. Um rapaz quebrou uma garrafa para se defender segundo ele dos ativistas que torciam contra o Brasil. “eu não estou satisfeito com a saúde e educação, mais eu quero assisti o jogo se eles não querem não venham me agredir”, o rapaz estava com sintomas de embriagues o que dificultou sua identificação.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do RJ (Seseg) no total foram 6 pessoas  detidas: “levadas para 17ª DP em São Cristovão 2 pessoas autuadas por lesão corporal e 1 por desacato a autoridade, eles assinaram termo circunstanciado e foram liberados, 21ª DP Bonsucesso 1 pessoa por desacato, 19ª Tijuca 2 jovens foram autuados por portar mochila com artefato explosivo. Todos foram liberados. Assim terminou o primeiro ato Contra a Copa, durante a Copa.

Comentários

Deixe uma resposta