Curso de jornalismo comunitário formou novos comunicadores

Utilidade pública

Em busca de uma comunicação democrática e que tenha o povo como protagonista, a comunicação comunitária e popular vem crescendo nos últimos 20 anos. Este movimento começou dentro dos espaços populares na busca de valorizar a cultura e a identidade local, de denunciar as práticas que marginalizam e criminalizam o povo pobre, assim como a omissão do poder público quanto às necessidades das favelas e periferias. Como mídia, a comunicação comunitária tem o dever de contrapor o que outros veículos de comunicação tomam como verdade sobre as pessoas desses territórios.

IMG_1825
A história da Maré e do jornal O Cidadão foram tema da primeira aula l Foto: Thaís Cavalcante

A comunicação comunitária e popular tem ganhado força na sua atuação política. Muitos veículos estão começando a atuar de forma conjunta, já que a criminalização só aumenta. O objetivo é garantir sua existência, sem perder seus valores e a visão crítica de mundo. A proposta de ensinar comunicação comunitária através do Jornal O Cidadão recebeu reconhecimento da Secretaria Municipal de Cultura em 2015, que visa à descentralização territorial das iniciativas de fomento à cultura no município do Rio de Janeiro, atuando nas áreas das Zonas Norte e Oeste.

IMG_2664
Na aula de diagramação, os alunos fizeram manualmente um jornal comunitário l Foto: Henrique Gomes

As aulas começaram em todos os sábados de abril até julho. Falamos sobre História da Maré, Linguagem para Comunicação Comunitária, Webjornalismo e Mídias Sociais, Fotografia/audiovisual, Rádio, Diagramação, Direitos Humanos e Favela e produção de matérias para jornal impresso. Todas as aulas tiveram apoio da equipe do jornal, e algumas ministradas por professores parceiros e moradores da Maré.

Baixe a apostila do curso CLIQUE AQUI

 

Foto 2
Os alunos do Curso vieram de diversas favelas e bairros da Cidade l Foto: Valdirene Militão

Este curso já foi realizado nos anos de 2012, 2013 e 2014. A edição de 2016 foi cuidadosamente preparada por mais de um ano e mais uma vez, deu certo. Consideramos o curso de ComCom uma boa oportunidade para estudantes de comunicação obterem um novo olhar sobre a atividade e moradores de favela e periferia poderem mudar sua realidade com esse exercício.

Mais novidade por aí: Em breve faremos o Congresso de Comunicação Comunitária e a edição especial do jornal, com matérias escritas pelos alunos!

Comentários

2 comments

Deixe uma resposta