Alunos e professores lutam pelo não descredenciamento das universidades Gama Filho e Univercidade

Geral, Notícias

 Por Gizele Martins

Mais de 2 mil alunos e professores participaram nesta terça-feira, dia 14 de janeiro, por volta das 18h, da manifestação contra o descredenciamento das universidades Gama Filho e Univercidade pelo Ministério da Educação (MEC). Uma pista lateral da Av. Presidente Vargas, Centro do Rio de Janeiro, foi fechada até às 21h. Um dos pedidos era pela federalização das duas unidades.

Durante o protesto, estudantes de cima do carro de som anunciaram que os diretores das universidades federais do Rio de Janeiro tinham acabado de assinar uma carta que será enviada ao MEC pedindo a federalização delas.

São mais de 10 mil alunos sem qualquer certeza sobre o seu futuro educacional e, consequentemente, profissional. Muitos deles estão com a monografia nas mãos, mas não tem a quem entregar. Já outros necessitam de algum documento para apresentar aos estágios, mas não há mais atendimentos nas duas unidades de ensino para que os alunos tirem qualquer dúvida ou solicitem alguma documentação.

Diante das incertezas, um grupo de alunos tem procurado conversa direta com o MEC. Eles estão se reunindo em Brasília para que eles esclareçam todo o caso.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Nota que o MEC divulgou sobre o caso:

1. Os reitores do Rio de Janeiro jamais apresentaram ao MEC esta suposta proposta de federalização.

2. Não existe qualquer amparo constitucional e legal para a contratação dos cerca de 1.600 professores e aproximadamente mil técnicos-administrativos das instituições sem concurso público.

3. Não reconhecemos base jurídica para que cerca de12 mil estudantes da Gama Filho e Univercidade possam ingressar em qualquer universidade pública desconsiderando o processo seletivo em curso, o Sisu, que teve mais de 2,5 milhões de inscritos no Brasil, sendo 479.496 nas universidades públicas do Rio de Janeiro. Considerando ainda que em todas as instituições públicas do Rio de Janeiro foram oferecidas 16.740 vagas.

4. O MEC, em conjunto com a Procuradoria Federal de Direito do Cidadão, continuará encaminhando a transferência assistida por meio de edital público, com acompanhamento dos estudantes, pais e comunidade acadêmica. Para que com esse trabalho responsável e com respaldo jurídico, na retomada do ano letivo, os estudantes tenham sua situação acadêmica normalizada.

Comentários

Deixe uma resposta